Notícias

Aeroporto de Goiânia passa a ser internacional com aprovação da ANAC

A Infraero recebeu a portaria da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que torna internacional o Aeroporto de Goiânia/Santa Genoveva. O ato foi publicado nesta quinta-feira (20/8) no Diário Oficial da União. A partir de agora, o terminal está autorizado a processar operações internacionais para os serviços aéreos públicos regulares e não regulares, incluindo táxi aéreo e aviação geral, e voos cargueiros de operadores que queiram ter a capital goiana como destino.

A portaria atende a um pedido da Infraero, que realizou o processo de internacionalização cumprindo os requisitos exigidos pelos órgãos públicos responsáveis (Receita Federal, Polícia Federal, Agência Nacional de Vigilância Sanitária e Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura) e pelos poderes públicos locais. O trabalho envolveu melhorias na infraestrutura do aeroporto e decisões administrativas que atestaram a capacidade para atender o tráfego aéreo internacional.

Foram investidos, pela Infraero, R$ 185,5 mil nas adequações do Aeroporto Santa Genoveva, para atendimento às demandas dos órgãos relacionados ao atendimento de voos internacionais de passageiros e de cargas. Para isso, foram adquiridos mais equipamentos de segurança como raios-x e detectores de metal, além de bancadas de atendimento e vistoria dos órgãos, sistema de vigilância e nova sinalização. Houve ainda a necessidade de adequação da sinalização do terminal e separação de fluxos, visto que os embarques e desembarques internacionais não podem se misturar com os domésticos.

“A portaria atesta a qualidade do trabalho conduzido pela Infraero, que levou a uma construção coletiva para que passageiros, operadores logísticos e empresas conquistassem essa condição tão desejada”, afirma o superintendente do aeroporto, Antônio Erivaldo Sales.

 

Elo logístico
Agora, o Aeroporto Internacional de Goiânia reforça sua condição de elo na cadeia logística que atende ao estado de Goiás, tanto nas atividades de importação e exportação pelo modal aéreo, quanto rodoviário e ferroviário, disponibilizando recursos operacionais e facilidades para atendimento à logística de carga.

Localizado num ponto estratégico, com a BR-153, a Ferrovia Norte-Sul e os polos industriais de Anápolis e Aparecida de Goiânia nas suas proximidades, o aeroporto poderá contribuir ainda mais para o desenvolvimento da economia local e estadual. Dados da Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Serviços (SIC) mostram que o estado melhorou o seu desempenho nas exportações no primeiro semestre deste ano, se comparado com o mesmo período de 2019, sendo que os principais compradores são os Estados Unidos e países da União Europeia e Ásia, com destaque para a China.

Para as atividades de cargas, o Teca de Goiânia, que é operado pela concessionária PAC Log, conta com uma estrutura de 6,3 mil m² e que dispõe de equipamentos operacionais e estrutura de câmaras frias para recebimento, conservação e logística de cargas e insumos recebidos no aeroporto.

Novos voos
Com a liberação para receber voos internacionais, a Infraero segue atuando em conjunto com os poderes públicos locais, representantes da economia da região e empresas aéreas para buscar a retomada dos voos em Goiânia e a abertura de novas operações para o exterior.

O processo de abertura de um voo pode ser iniciado diretamente com a Infraero, que agora reúne condições para atender aos requisitos internacionais. “Para receber um voo, o mínimo que a norma exige é que o operador aéreo avise a Infraero sobre o seu interesse com antecedência mínima de seis horas. Mas se houver interesse, a Infraero poderá dar todo o suporte e atendimento conforme a estrutura e a demanda locais”, explica Antônio.

Além dessa estrutura aprovada, atendendo as recomendações da Anvisa, o terminal goiano conta ainda com uma campanha de orientação aos passageiros e funcionários no combate ao coronavírus (Covid-19). As ações incluem adesivos de sinalização e orientação por todo o caminho que os frequentadores fazem dentro do aeroporto; além de avisos em áudio e vídeo nos sistemas de som e painéis de voos, e cartazes pelos terminais. O foco dos alertas é no uso de máscaras durante a permanência no aeroporto e na viagem e no distanciamento entre os frequentadores dos terminais e higienização das mãos.

 

Fonte: Infraero

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *